Preparo de amostras para isolamento de células

Olá pessoal, agora que já sabemos o que é o isolamento de células e para que serve, vamos conversar um pouco mais sobre a execução da técnica. 

Tipos de amostras

Para selecionar o melhor método de isolamento para o seu experimento, é preciso considerar qual a sua amostra inicial. Alguns exemplos são:

  • Sangue periférico total
  • Leucaférese (Leucopaks) 
  • Células mononucleares de sangue periférico (PBMCs) 
  • Medula óssea 
  • Sangue do cordão umbilical 
  • Baço e nódulos linfáticos 
  • Tecidos (Pele, fígado, pulmão, gordura, cérebro, tumor, etc.)

Temos uma infinidade de amostras biológicas que podemos analisar. Na hora de selecionar, além de considerar a relevância dessa amostra no seu resultado, o preparo correto é imprescindível para que se obtenha resultados de qualidade.

Preparo da amostra

Existem muitas maneiras diferentes de preparar amostras para obter um isolamento ideal, geralmente envolve o fracionamento ou a remoção de certos elementos que possam interferir no seu resultado.

Quando falamos em amostras de tecido intacto, você deve primeiro romper a matriz extracelular usando força mecânica e/ou enzimas proteolíticas. A criação de uma suspensão de célula é importante ao usar técnicas de separação que utilizem marcação de células. Lembrando que a dissociação incompleta do tecido pode levar a uma marcação ineficiente e consequentemente isolamento incompleto.

Também é importante garantir que o método de processamento da amostra não afete os epítopos da superfície celular, pois isso pode impactar negativamente tanto o isolamento celular quanto as análises funcionais posteriores.

Seguem algumas técnicas para dissociação de tecidos:

TipoTecidoExemplos
Homogeneização mecânicaTecidos molesSonicação
Digestão enzimáticaTecidos moles e cartilaginososColagenase, Proteinase K
Digestão ácidaTecidos ósseos e fibrososHCl

Se pensamos em amostra de sangue total, podemos processá-lo de várias maneiras para obter frações de células específicas, que então serão utilizadas diretamente em ensaios biológicos ou selecionadas para isolar subconjuntos celulares mais específicos.

O sangue total é composto pelo plasma, glóbulos vermelhos, plaquetas e leucócitos. Os leucócitos podem ser posteriormente categorizados em células mononucleares e células polimorfonucleares (ou granulócitos).

Por Bruna Palodetto, gerente de produtos da Analítica.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s