Olá pessoal! Hoje vamos conversar sobre como as características na nossa amostra são essenciais para escolher o melhor método de isolamento para o seu experimento! 

Vamos começar analisando quais características são relevantes e podem ser usadas ao nosso favor no isolamento celular:

Adesão: 

  • Os perfis de adesão exclusivos de diferentes tipos de células podem ser usados ​​para separar células-alvo de populações heterogêneas
  •  Ao escolher fatores de crescimento adequados e placas de cultura de células para favorecer ou inibir seletivamente a adesão, as células aderentes podem ser separadas das células em suspensão
  • Alternativamente, as células que crescem naturalmente em suspensão podem ser isoladas por cultura placas de fixação ultra-baixa. Sem uma superfície para aderir, as células aderentes não sobreviverão

Um ótimo exemplo é o isolamento de células mesenquimais de uma amostra de medula óssea:

Schematic illustration of the isolation of mouse bone marrow MSC. Bone... |  Download Scientific Diagram

A cada passagem, as células mesenquimais vão aderindo a placa de cultura e as células CD34+ vão sendo eliminadas.

Peso:

O peso de cada componente presente na nossa amostra pode ser usado na técnica de sedimentação. 

  • Funciona com base no fato de que a gravidade fará com que componentes maiores e mais densos sedimentem mais rápido do que materiais menores e menos densos
  • Pode ser feita por centrifugação
  • Utilizado em exames clinicos (VHS, Hematócrito)
  • É uma técnica barata, mas tem menor pureza

Densidade:

A densidade de todos os componentes da nossa amostra pode ser considerada uma estratégia para o isolamento celular. Utilizando essa característica podemos aplicar o método de Centrifugação de Gradiente de Densidade

  • A centrifugação de gradiente de densidade depende das densidades variáveis ​​de células em uma amostra heterogênea
  • A amostra é colocada em cima do meio de gradiente de densidade antes de ser centrifugada
  • Durante a centrifugação, cada tipo de célula sedimentará até o ponto onde a densidade das células e do meio são iguais (Ponto isopícnico)
Density Gradient Centrifugation
  • As aplicações mais comuns são: Fracionamento de células mononucleares de sangue periférico, exclusão de células mortas de uma cultura e separação de plasma de células sanguíneas
  • Existem vários tipos de meios de gradiente de densidade, cada um com propriedades exclusivas que os tornam ideais para diferentes finalidades

O exemplo mais comum é o isolamento de PBMC do sangue total:

Células mononucleares do sangue periférico (PBMCs): Linfócitos (Células T, B e NK), monócitos e células dendríticas

O sangue total é diluído com PBS e, em seguida, cuidadosamente colocado em camadas sobre o meio de gradiente de densidade. Durante a centrifugação, as células com densidades mais altas (ou seja, granulócitos e eritrócitos) sedimentam através do meio de gradiente de densidade. As PBMCs se acomodam na interface entre o meio de gradiente de densidade e o plasma, de onde podem ser cuidadosamente coletados.

Marcadores imunológicos

Essa é uma excelente característica para levar em conta na escolha do método de isolamento. Como o assunto é extenso vamos falar mais sobre ele no próximo post!

Até a próxima 😉 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s